quinta-feira, 7 de julho de 2011

Ovos com Tomate, uma receita de Verão


Desde a minha infância que recordo este prato.
Assim que a escola acabava, em finais de Junho, começavam os preparativos para as férias de Verão. Significava pensar no que levaria no saco para uma temporada de três meses, como encontraríamos a casa da avó, que ficava fechada todo o ano, porque ela morava connosco, e que sabíamos que tínhamos que começar a limpar: a arejar os colções, a lavar os lençóis, que permaneciam guardados na cómoda antiga, dobrados da mesma forma como tinham sido deixados.
Os meus pais, ambos professores, ainda ficavam pela ilha até finais de Julho, mas nós duas, mais tarde, nós três, seguíamos com a avó e bisavó materna,de barco, numa viagem infindável, porque eram cerca de sete horas no Terra Alta ou no Espírito Santo, rumo à ilha do Pico. Foram vinte e tal anos da minha vida em que todos os verões havia o mesmo ritual, o que, para nós, era uma alegria porque já tínhamos os  amigos de verão à nossa espera. 
E começava a aventura: os banhos de mar, as festas, as visitas a parentes e as novas amizades.
Recordo que, depois de nos instalarmos, todas as vizinhas nos vinham visitar e, como já não nos viam há um ano, traziam-nos do que produziam: batatas, maçarocas de milho, que cozíamos com sementes de funcho, cebolas e alhos, ovos caseiros e tomates, estes últimos da qualidade coração de boi, como a minha avó dizia. Eram grandes, sumarentos e carnudos.
Ideais para a confeção deste prato,  muito popular nessa época, e que eu resolvi revisitar trazendo-vos aqui uma receita simples mas que, talvez, terá já caído no esquecimento de algumas cozinheiras.

Ingredientes

Ovos (utilizei 8)
Tomates (utilizei 3 grandes)
1 cebola
2 dentes de alho
especiarias a gosto (utilizei pimenta preta)
sal
azeite
salsa para decorar (utilizei manjericão)

Triturei os tomates na Bimby, mesmo com a casca. A minha avó cortava-os pacientemente.
Fiz um refogado em azeite com a cebola e o alho picadinhos do tamanho de um átomo, porque cá em casa ninguém os quer encontrar.
Adicionei o tomate, temperei e deixei cozinhar até o tomate estar cozido.
À parte, bati com um garfo os ovos. Temperei-os de sal. Adicionei-os ao tomate. Misturei tudo.
Mexi de vez em quando.
Está pronto quando os ovos estiverem cozinhados.

Lembro-me de fazer sandes com as sobras do almoço de ovos com tomate e de levá-las para a costa, como se diz no Pico. À beira-mar elas ainda sabiam melhor!

E lá íamos a pé para o mar, que ficava já ali.

Patrícia


7 comentários:

Luísa Alexandra disse...

Costumo fazer mas com o tomate cortado em pedaços, com tomate triturado não me agrada muito. Mas claro que cada um faz ao seu gosto! Também junto sempre cebolinho fresco, fica óptimo.

Receitas ao Desafio disse...

Patrícia, que post tão ternurento e saudosista! É bom recordar esses tempos em que a nossa maior preocupação era conseguir um de pele douradinho! Parabéns pelo texto delicioso e pela fotografia. Está lindíssima! Um beijo, Ilídia

Cidália disse...

Este blog está com cheirinho a nostalgia!
A receita parece-me muito bem.
Beijinhos

Gisela disse...

Esta receita é muito habitual em minha casa, ainda esta semana fiz um dia para o jantar, Já em casa dos meus pais se fazia muito, e eu adoro, como dizes, sabe a Verão.
Um beijinho

Gina acasadagigis disse...

Patrícia,

Adorei a tua história , trouxeste me recordações da minha infância , das férias de Verão , das idas à terra que eu adorava , ver a minha avó .
Saudades dos que já partiram, bjs

Duxa disse...

Olá Patricia, hoje percebi que não era vossa seguidora, daí não conhecer as vossas actualizações,acabei de resolver essa parte.
O texto está delicioso, tanto como o aspecto com que ficou o prato, prato este que também era feito pela minha avó materna à moda do Algarve, que saudades!!!
Um bejinho.

Receitas ao Desafio disse...

Olá a todas. Venho agradecer os vossos comentários. Muitos dos meus pratos têm uma história, que, por vezes, gosto de partilhar. Outros surgem da gestão diária dos ingredientes que tenho no frigorífico, na despensa ou são simplesmente sobras que aproveito e que desafiam a minha imaginação.

Duxa, há muito tempo que sigo o teu blog, que adoro verdadeiramente. Fiquei feliz por saber que também a tua avó fazia este prato. Memórias que nos ficam.Sê benvinda ao nosso blog.

Um beijinho
Patrícia