sábado, 11 de abril de 2015

Bolo de laranja relâmpago

Cozinhar é um ato muito gratificante. De dádiva, por colocarmos amor naquilo que fazemos. De retribuição, por ver a satisfação daqueles que experimentam a nossa comida.
Para o fim de semana, fiz bolo de laranja. Receita nova daquele programa de televisão.
É um bolo húmido, que se conserva ao longo da semana. Assim, podemo-nos ir deliciando com ele sempre que apetecer. Até quando estamos a trabalhar e a criar aulas digitais para os nossos alunos :)
 
 
Ingredientes
1 laranja
1/2 chávena de água
1 c. chá de bicarbonato de sódio
2 ovos inteiros
1 chávena de açúcar
2 chávenas de farinha
1 c. chá de essência de baunilha
130 gr de manteiga
1 chávena de nozes
1 chávena de sultanas douradas


Preparação
Lavar a laranja, cortar em 4 partes e retirar os caroços. Colocar no robot de cozinha e triturar até não ter pedaços.
Misturar a água com o bicarbonato de sódio até dissolver. Juntar à laranja e misturar.
Acrescentar os ovos inteiros, o açúcar, a farinha, a essência de baunilha e a manteiga amolecida (e não derretida). Bater tudo junto, até os ingredientes ficarem bem ligados.
Adicionar as nozes e as sultanas e envolver com uma colher de pau.
Levar ao forno em forma untada com manteiga e polvilhada com pão ralado.
 
 
Bom fim de semana.
 
Maria
 

domingo, 5 de abril de 2015

Salada de cuscuz e legumes assados

Domingo de Páscoa.
Para o almoço, o marido grelhou maminha de vaca na brasa.
A mim, coube-me fazer o acompanhamento. Esta salada deliciosa da Annabel Langbein, que retive na memória desde o dia em que a vi num dos seus programas. Aprovadíssima.
Uma Páscoa Feliz!
 

Ingredientes
1,200 kg de maminha de vaca
sal q.b.
1,5 chávenas de cuscuz
1,5 chávenas de água a ferver
raspa de meio limão
1 c. de chá de sal
3 cenouras
1 curgete
2 cebolas
1/4 de abóbora (média)
azeite q.b.
sal q.b.
pimenta preta q.b.
maple syrup q.b.


Preparação
A carne é temperada de véspera com sal e azeite (só para não colar à grelha). No dia, é só grelhar na brasa.
Começo por acender o forno.
Lavo e corto os legumes, em pedaços de tamanho semelhante, para que o tempo de confeção seja suficiente para todos. A Annabel usou cenouras, beterraba, abóbora e cebolas roxas. Os legumes a utilizar dependerão daquilo que tivermos disponível em casa ou até da própria estação do ano.
Coloco os legumes cortados num tabuleiro de forno de cerâmica, tempero com sal, pimenta preta e rego com um fio de azeite e outro de maple syrup (usei este que comprei numa loja de produtos americanos).
Levo ao forno.
Entretanto, coloco os cuscuz numa taça de vidro, tempero com a colher de chá de sal, a raspa do meio limão e rego com a água a ferver. Mexo ligeiramente para envolver e deixo a repousar durante 10 minutos. Findo esse tempo, e com a ajuda de um garfo, coloco os cuscuz num prato grande de servir e, depois de prontos, adiciono-lhe os legumes já assados. Envolvo e sirvo com a carne.
 

 
Fiquem bem.

Maria

segunda-feira, 30 de março de 2015

Caracóis doces de canela

No sábado, enquanto cozinhava o almoço, liguei a televisão e optei pelo 24 kitchen. Talvez tenha sido a quarta ou, talvez, a quinta vez que me liguei a este canal e, enquanto deu o programa The free range cook, da neozelandesa Annabel Langbein, não consegui tirar os olhos do aparelho. As coisas deliciosas que ela fez num programa de 30 minutos deixaram-me fascinada. E ela faz parecer tudo tão simples e extraordinariamente delicioso!
Ontem à noite, de papel e lápis na mão, fui às gravações automáticas e anotei, passo a passo, o modo de confeção destes caracóis que nunca mais me saíram da cabeça.
Hoje, período de férias escolares, tive o meu sobrinho Gui cá em casa, a brincar com o meu Afonso. Depois de um almoço com aquilo que eles gostam, para o lanche preparei os caracóis da Annabel.


Ingredientes
Para a massa:
1/2 chávena de manteiga (à temperatura ambiente)
2 chávenas de leite (à temperatura ambiente)
3 c. chá de fermento seco
3/4 de chávena de açúcar
6 chávenas de farinha de trigo
1 c. chá de sal

Para o recheio:
manteiga q.b. para barrar
1/2 chávena de açúcar
1 c. sopa de canela em pó

Preparação
Antes de mais, devo dizer que a chávena que utilizei como medida, é uma chávena de chá.
Começamos por fazer a massa.
Numa panelinha, colocar a manteiga e levar ao lume a derreter. Juntar o leite, o fermento e o açúcar e mexer até que este se dissolva. Retirar do lume e reservar.
Numa taça de vidro, colocar a farinha e o sal. Misturar ligeiramente e abrir um buraco no centro. Acrescentar os líquidos e mexer com uma colher de pau. Depois de tudo envolvido, colocar a massa em cima de uma bancada polvilhada com farinha e amassar até ficar fofa. Se começar a agarrar aos dedos, acrescentar um pouco de farinha. Fazer uma bola, colocar numa taça de vidro, tapar com um pano de cozinha e deixar levedar num lugar morno, até duplicar o volume.


Depois disso, separar a massa em duas partes iguais (uma das quais guardei no frigorífico para usar amanhã ou depois) e estendê-la em cima da bancada polvilhada com farinha, estender com o rolo da massa e formar um retângulo com, aproximadamente, 0,5 cm de altura. Barrar toda a superfície com bastante manteiga e polvilhar com a mistura de açúcar e canela. 



Enrolar a massa (tipo torta) e, em seguida, cortar pedaços de 4 cm. Dispor os pedaços numa forma forrada com papel vegetal, ligeiramente espaçados entre si, pois crescem durante a cozedura, e levar ao forno aquecido.


Ma-ra-vi-lho-sos!!!!


Fiquem bem.

Maria

segunda-feira, 23 de março de 2015

Bruschetta de bacon

Naqueles dias mais agitados, em que o tempo parece correr e não dar para fazer tudo aquilo que nos espera ao chegarmos a casa, após um dia longo e intenso no trabalho, o jantar fica, por vezes, comprometido... E é especialmente nesses dias que nos apetece uma comidinha saciante. 
Foi num desses dias que, aproveitando o resto de pão caseiro do dia anterior e alguns ingredientes que havia no frigorífico, arranjei inspiração para fazer estas bruschettas super rápidas.


Ingredientes
4 fatias de pão caseiro
3 c. sopa de manteiga Milhafre
1 dente de alho
6 fatias de bacon fumado
queijo da ilha ralado
orégaos q.b.


Preparação
Inicialmente, prepara-se a manteiga, levando-a ao microondas alguns segundos para amolecer um pouco. Retira-se, acrescenta-se o alho esmagado, mexe-se com uma colher e reserva-se até que volte a endurecer um pouco.
Cortam-se as fatias de pão. Barram-se com a manteiga de alho. Cobrem-se com fatias de bacon, queijo ralado e orégãos. Levam-se ao forno, num tabuleiro forrado com papel vegetal, até o queijo derreter.
E está pronto!

Fiquem bem.
Maria

quarta-feira, 4 de março de 2015

Quadrados de côco

Voltei.
Depois de várias semanas afastada do receitasaodesafio, achei que deveria partilhar convosco o bolinho de fim de semana que fiz cá em casa. Desta vez, foi de iogurte e côco. E já não o fazia desde o final do verão, altura, aliás, em que tirei as fotografias. 
Este é para apreciadores de côco ;)


Ingredientes
1 iogurte de aroma de côco
2 chávenas de chá de açúcar
3 ovos (inteiros)
3/4 de chávena de chá de óleo
1 chávena de chá de côco ralado
2 chávenas de chá de farinha
1 c. sopa de fermento
 

Preparação
Numa taça, misturar muito bem o iogurte com o açúcar, os ovos e o óleo, até obter uma massa fofa. Acrescentar o côco e envolver bem. Adicionar a farinha e o fermento e bater a massa até obter uma mistura homogénea.
Untar uma forma ou tabuleiro (quadrado) com manteiga e polvilhar com pão ralado. Verter a massa para o interior desse recipiente e levar ao forno até cozer (teste do palito).
Retirar do forno, deixar arrefecer e, se se tiver utilizado um tabuleiro, partir em quadradinhos e guardar numa caixa hermética. 

Esta receita foi retirada daqui. Obrigada Maria João ;)

Até um dia destes.

Maria

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Florentinas para terminar fevereiro

Faz um mês que não vinha aqui. E antes que fevereiro acabe, faço questão de partilhar convosco a minha primeira experiência em formato florentinas. Espero que gostem da sugestão.


A receita encontra-se na minha cozinha. É já aqui ao lado. Apareçam por lá!

Bom fim de semana!

Patrícia

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Só para quem é marisqueira como eu

Por ser sexta-feira, temos o fim de semana  à porta e, talvez, a oportunidade de cometermos alguns excessos alimentares. Deixo-vos uma sugestão de uma entrada que irá alegrar de certeza os jantares  entre amigos.
 Vão então buscar as tostas e as cervejas frescas e acompanhem-me neste petisco.
Quem alinha?

Molhanga de Santola


Ingredientes

1 santola cozida 

1 ovo cozido

100 g de queijo flamengo ralado

3 colheres de sopa de Molho cocktail Calvé
2 colheres de sopa de maionese Heinz (com cebola caramelizada e ervas)
1 colher de sopa de mostarda
3 colheres de sopa de pickles picados
2 colheres de sopa de cerveja
salsa fresca picada
malaguetas
louro
sal
Preparação
Cozer a santola de preferência com água do mar temperada com louro e malaguetas, cerca de 15 minutos, após a água ter começado a ferver.
Retirar a santola e deixar arrefecer.
Reservar no frigorífico até estar bem fresca.
Retirar as patas e as pinças. Reservar.
Abrir a carapaça, separando-a do resto do corpo.  Agarrar na base e puxar, por forma a separá-la da carapaça.
Desprezar uns apêndices moles que se assemelham a plumas e que se situam em redor do corpo; Retirar a carne cuidadosamente separando-a das cartilagens.
Juntar à carne os pickles, o queijo flamengo e o ovo cozido, previamente picados. Envolver e esmagar com a ajuda de um garfo.
Adicionar todos os molhos, a cerveja e a salsa picada. Misturar.
Servir com tostas.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

Cabrito assado no forno

E pronto, já estamos em 2015! Um novo ano que, espero, seja bom para todos.
A finalizar o ano velho, atrevi-me a fazer cabrito assado pela primeira vez. A inspiração surgiu da saudade, que vejo ampliada nestas alturas do ano que passo longe da minha família e da minha terra. Um telefonema à mãe e outro à irmã mais velha, um papel e uma esferográfica e mãos à obra. 
Muito simples de fazer e muito bom!
Ingredientes
2 kgs de cabrito
batatinhas
azeite
alho
2 folhas de louro
sal
colorau
1 piri-piri em grão
1/3 de caneca de vinho branco
2/3 de caneca de água morna


Preparação
Lavar o cabrito e dispô-lo num tabuleiro de barro.
Descascar e lavar as batatas e colocá-las à volta do cabrito.


 Numa taça à parte, fazer o molho com bastante azeite, muito alho picado, o louro (sem a nervura central), o colorau e o piri-piri partido ao meio.
Polvilhar o cabrito e as batatas com sal e barrar a carne com o molho. Regar as batatas com o restante molho e mexê-las com as mãos, de modo a que fiquem envolvidas no mesmo.
Misturar o vinho com a água e vertê-lo para o tabuleiro, apenas sobre as batatas, com o cuidado de não "as lavar demasiado" do molho de azeite.

 
Tapar com folha de alumínio e levar ao forno, em lume alto. 
Destapar o tabuleiro ao fim de, aproximadamente 45 minutos, e deixar alourar até ao final do tempo. 
O tempo de cozedura do meu foi de uma hora e meia. Mas, deixei-o no forno (desligado) a apurar, enquanto comíamos o arroz de marisco.
Acompanhei com arroz de cenoura e grelos cozidos, regados com azeite novo e alho picadinho.

Feliz Ano Novo!

Maria

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Coroa de Mirtilos e Votos de Boas Festas

As cozinheiras do Receitas ao Desafio desejam a todos os seguidores desta cozinha um SANTO NATAL!


 Ingredientes
600 g de farinha
1 colher de café de sal
240 ml de leite morno
30 g de fermento fresco
60 g de manteiga derretida
2 gemas de ovo
4 colheres de sopa de açúcar
óleo q.b.
Recheio
70 g de manteiga amolecida
6 colheres de sopa de açúcar
1 colher de sopa de canela
150 g de mirtilos
Preparação
Misture o leite com o fermento, o açúcar, a manteiga derretida e as gemas. Deixe descansar e formar bolhas durante 10 minutos.
Peneire a farinha juntamente com o sal para dentro de uma tigela e junte-a aos poucos à mistura anterior. Amasse e transforme numa bola.
Coloque a massa numa tigela untada com óleo e tape com película aderente. Deixe descansar durante cerca de uma hora ou até dobrar de volume.
Para o recheio, misture a manteiga com o açúcar, a canela e os mirtilos. Polvilhe uma superfície de trabalho com farinha e estique a massa com a ajuda de um rolo, também ele polvilhado com farinha, até obter um retângulo de 20×30 cm e com 1 cm de espessura.
Espalhe 3/4 da mistura de manteiga pela massa e enrole-a. Em seguida, faça um corte ao meio no sentido longitudinal, deixando uma das pontas por cortar.
Entrance as duas tiras e no fim dê um formato de coroa. Coloque a coroa num tabuleiro de forno forrado com papel vegetal, pincele-a com a restante manteiga e leve ao forno pré-aquecido a 200 ºC por 25 minutos. Nos últimos 10 minutos baixe o lume para 180ºC.



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Arroz Doce

O arroz doce é das sobremesas mais apreciadas aqui em casa. Feito da forma tradicional, de tacho e colher de pau, exige muito tempo da cozinheira. Nem sempre tenho paciência nem tempo. Para isso é que existem as auxiliadoras de cozinha e, para mim, a Bimby é uma delas. Neste arroz o mérito é todo desta máquina. Eu reservo-me a dar-lhe instruções e a esperar que o arroz fique cremoso e tentador. Entretanto, posso ir fazendo outras coisas.



Ingredientes

1 litro de leite
160 g de arroz carolino
1 casca de limão, só parte amarela
1 pau de canela
1 pitada de sal
160 g de açúcar
4 gemas de ovo
canela em pó

Preparação na Bimby

Coloque no copo todos o ingredientes exceto o açúcar e as gemas.
Programe 15 minutos 90ºC, colher inversa e velocidade colher. Retire a tampa e envolva com a espátula.
De seguida, marque 25 minutos, 90 ºC, colher inversa, velocidade colher.
Quando terminar, junte o açúcar, as gemas previamente desfeitas num pouco de arroz doce. Envolva com a ajuda da espátula e marque 10, 90ºC, velocidade inversa, velocidade 1 1/2.
Deite num recipiente grande ou em taças pequenas. Quando estiver frio polvilhe com canela em pó.

fonte: Bimby, As Receitas Essenciais, página 134.


Um doce fim de semana.

Patrícia

domingo, 7 de dezembro de 2014

Frango de churrasco em dias de frio

Por norma, não aprecio o domingo. Mas hoje foi diferente. Foi um domingo mais calmo, sem correrias para deixar as coisas prontas para a semana seguinte. Amanhã é feriado. Que bom!
Nas compras de sexta-feira, na secção das aves, lembrei-me dos churrascos de verão. Quando cheguei a casa, informei o marido que no domingo era ele quem fazia o almoço. Eu só fiz uma massa e pronto.
Este frango de churrasco sai sempre bem. O meu marido é perito!
E acreditem que, mesmo num dia muito frio e com uma ligeira constipação, sabe bem almoçar comida de verão ;)


Ingredientes:
para temperar o frango:
12 pernas de frango
12 coxas de frango
1 cabeça de alho
sal q.b.
massa malagueta q.b.

para o molho:
alhos esmagados
1 cerveja
1 c. sopa (bem cheia) de banha de porco
1/2 cubo de caldo de galinha
1 c. de sobremesa de piri-piri
1 c. de chá de jindungo


Preparação:
Tempera-se o frango 1 ou 2 dias antes com o alho esmagado com casca (com a ajuda de uma faca), o sal e a massa malagueta. Como temperei este na sexta-feira, no sábado mexi-o bem e voltei a guardá-lo no frigorífico.
No dia do churrasco, enquanto a brasa se vai fazendo, preparamos o molho. Num fervedor colocam-se todos os ingredientes referidos acima. Os alhos esmagados, são os que serviram para temperar o frango.
Depois da brasa pronta, colocamos as peças de frango na grelha. Voltamos à cozinha e levamos o preparado do molho ao lume até ferver. Entretanto, já podemos virar o frango e, depois disso, pincelamos-o com o molho. Repetimos este procedimento, sempre que virarmos as peças.
Depois de bem assadinho, come-se com uma salada de massa (hoje foi espiral) com ovo cozido, azeitonas e pickles picados e maionese a gosto.
Soube-nos muito bem!

Boa semana.

Maria

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Pudim de queijo creme

Se este pudim fosse uma música, seria aquela que mais teríamos ouvido cá em casa nos últimos tempos. E que já saberíamos de cor.
É mais uma daquelas sobremesas que já guardo no meu livrinho de receitas.


Ingredientes
1 embalagem de queijo creme
5 ovos
1 lata de leite condensado
1 lata de leite evaporado
1 c. chá de aroma de baunilha
caramelo líquido (para regar a forma)


Preparação
Numa taça, coloca-se o queijo e bate-se até obter um creme. Adicionam-se os ovos, um a um, batendo muito bem. Por último, acrescentam-se os leites e o aroma de baunilha. Depois de tudo devidamente misturado e homogéneo, rega-se uma forma com caramelo líquido, verte-se o preparado para o seu interior e leva-se ao forno, dentro de um tabuleiro com água a ferver. Deixa-se cozer até ficar lourinho.
Depois de pronto e de ficar à temperatura ambiente, leva-se ao frigorífico e desenforma-se no dia seguinte.

Fonte:
http://bembons.blogspot.pt/2014/01/pudim-flan-cremoso.html

 
Bom fim de semana!

Maria

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Empadão de alheira

À conversa em mais um jantar com amigos, falou-se inevitavelmente de comida. 
Mais do que pesquisar nos inúmeros sites e blogues disponíveis, gosto de conversar com as pessoas sobre aquele prato, aquele bolo ou aquela tarte que lhes saiu tão bem. Gosto de ouvir a descrição de todo o processo. Gosto de saber quais os ingredientes utilizados e os truques que, por vezes, fazem toda a diferença. 
Da conversa daquele jantar, trouxe este empadão guardado no pensamento.
Não demorei muito tempo a pôr a receita em prática. E o resultado foi aquilo que já esperava.


Ingredientes
1 kg de puré de batata
2 alheiras caseiras ou 3 das de compra
400 gr de grelos congelados (uso da marca Continente)
2 gemas de ovo

Preparação
Faz-se o puré conforme a receita do livro-base da Bimby. A única alteração que faço é utilizar apenas 350 gr de leite.
Cozem-se os grelos em água, sal e um fio de azeite, respeitando o tempo de cozedura referido na embalagem.
Rega-se o fundo de um tabuleiro de forno com um fio de azeite. Retira-se a pele às alheiras e esfarelam-se por cima. Forma-se uma camada com os grelos devidamente escorridos e cobre-se com o puré de batata. Pincela-se com as gemas de ovo e vai ao forno alourar.
Serve-se com uma salada de tomate.

Bom apetite.

Maria

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Pudim de Bacalhau com pozinhos de perlimpimpim


Alimento a teoria de que o pouco se pode transformar no muito, ao jeito da parábola de A Multiplicação dos Pães. Foi quase mesmo um milagre o que aqui aconteceu. Umas sobras de bacalhau cozido conjugadas com algum pão deram o mote e com mais uns pós de perlimpimpim tudo se transformou numa receita de substância que contou vinte jeitosas fatias.

A receita deste pudim encontra-se no Foodwithameaning, caso a queiram guardar para mais tarde experimentar.


Patrícia

domingo, 21 de setembro de 2014

Bolo de banana

(Receita adaptada daqui)

Hoje trago-vos uma receita que considero, acima de tudo, útil. Quantas vezes não compramos bananas e acabamos por desperdiçar as últimas, que vão envelhecendo na fruteira, acastanhadas e feias? Este bolo é perfeito para evitar desperdícios. E é adequadíssimo a pequenos-almoços de fim de semana e lanches pós-escola. Espero que gostem. 


Ingredientes:
2 chávenas de farinha
1 1/2 colher (de chá) de fermento para bolos
1 colher (de chá) de bicarbonato
3/4 colher (de chá) de sal
3/4 chávena de açúcar
1/2 chávena de manteiga derretida
1/2 chávena de leite
2 ovos
1 colher (de chá) de extrato de baunilha
2 bananas bem maduras (as minhas já estavam castanhas)
Açúcar mascavado escuro para polvilhar o bolo


Preparação:
Aquecer o forno a 180 graus. 
Numa tigela grande, misturar a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e o açúcar. Acrescentar a manteiga derretida e mexer, até esta estar bem incorporada. Juntar metade do leite e mexer.
Numa tigela à parte, misturar o restante leite com os ovos e juntar à mistura anterior, bem como a baunilha e as bananas esmagadas. 
Forrar uma forma de bolo inglês com papel vegetal (ou untá-la e enfarinhá-la), colocar a mistura, polvilhar com açúcar mascavado e levar ao forno, cerca de 35 a 40 minutos (fazer o teste do palito: espetar um palito no centro do bolo; quando este sair seco, o bolo está cozido). Deixar arrefecer e desenformar. 


Uma boa semana para todos.
Ilídia

domingo, 14 de setembro de 2014

Salada de polvo e lapa miúda

Venho hoje deixar-vos uma receita que fiz em agosto passado, receita esta confecionada com frutos da pesca-submarina praticada pelo meu marido. O polvo ainda era jovem e de entre a lapa graúda foi selecionada a mais miúda para esta salada.  Acompanhei a salada com pão de milho e com vinho verde fresquinho. No meu entender, acabou por ser uma excelente despedida do verão.



Ingredientes 
250 g de lapa miúda
1 polvo com cerca de um quilo
azeite 3/4 medida
vinagre 1/4 medida
3 cebolas (1 para a cozedura do polvo)
6 dentes de alho (2 para a cozedura do polvo)
salsa
2 colheres de chá de massa de malagueta
1 colher de chá rasa de pimentão doce (colorau)
umas pedrinhas de sal
Preparação
1. Colocam-se as lapas  num tacho e cobrem-se com água.
2. Deixa-se cozer até a água ferver e estas se soltarem da concha.  Deixa-se arrefecer.
3. Escolhem-se as lapas e eliminam-se as conchas.
4. Retira-se o polvo do congelador. Deixa-se descongelar e coloca-se na panela de pressão limpo e inteiro, conjuntamente com dois alhos cortados em metade e uma cebola inteira. Fecha-se a panela, deixa-se levantar pressão e conta-se 20 a 30 minutos e o polvo deve estar cozido. O tempo de cozedura dependerá também do tamanho do polvo. Este, neste caso, pesava apenas um quilo.
5. Colocam-se  as lapas e o polvo cozido, cortado em pedaços pequenos, num recipiente e prepara-se o molho em cima destes com os restantes ingredientes acima descritos.


Uma boa semana para todos!

Patrícia

domingo, 7 de setembro de 2014

Mousse de lima

A primeira vez que comi esta mousse foi em casa de amigos. A finalizar um churrasco, fiquei verdadeiramente deliciada. É uma sobremesa muito fresca, muito de verão. A receita veio comigo. E agora posso partilhá-la convosco. Mais uma super fácil e que vale a pena ;)


Ingredientes
500 ml de natas frescas (uso da marca Milhafre)
1 lata de leite condensado
sumo de 4 limas
raspa de 1 lima (para enfeitar)


Preparação
Colocam-se as natas numa taça e mexe-se um pouco com uma vara de arames. Adiciona-se o leite condensado e mistura-se bem. Espreme-se o sumo das limas para uma tacinha à parte e, depois, acrescenta-se em fio, à mistura inicial, mexendo sempre. Vão ver que começa logo a "fazer ponto".
Coloca-se numa taça grande ou em tacinhas individuais, enfeita-se com raspa de lima e vai ao frio.
Pode-se fazer de manhã para a hora do jantar.

Bom resto de verão.

Maria

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Polvo assado no forno

Esta receita de polvo surpreendeu-me pela positiva. Gostei do aspeto, quando a vi no volume 14 do livro Tele Culinária e Doçaria, mas confesso que a fiz um pouco de "pé atrás". Acho que o polvo no forno, exceto o que faço à lagareiro e que podem encontrar aqui, fica sempre com muito molho. Mas desta vez enganei-me! Este fica com um molhinho muito saboroso e na quantidade certa.
É um prato que implica algum tempo para ser feito. Mas vale bem a pena!
 
Ingredientes
1 polvo grande (+/- 2 Kg)
12 batatas
azeite q.b.
2 cebolas grandes
5 dentes de alho
1 folha de louro
2 tomates maduros (grandes)
1 malagueta
200 gr de bacon
1 pimento vermelho
2 c. chá de molho Q.B.
1 chávena de vinho branco
1/2 chávena de água
sal q.b.
 
Preparação
Comecei por lavar e arranjar o polvo. Coloquei-o numa panela, partido em quatro pedaços, adicionei meio copo de água, meia colher de chá de sal, um fio de azeite, uma cebola cortada em quartos e levei ao lume a cozer.
Lavei as batatas e cozi-as com a pele, em água temperada com sal. Depois de cozidas, escorri-as e retirei-lhes a pele.
Numa panela, fiz um refogado com o azeite, o alho picadinho, as cebolas cortadas em meias luas, o louro, o pimento e o bacon cortados às tiras. Deixei cozinhar até a cebola querer alourar, juntei os tomates cortados em meias luas, a malagueta partida em dois e o molho Q.B. e deixei refogar mais um pouco, para tomar gosto. Mais tarde, juntei o vinho e a água e temperei com sal. Deixei apurar um pouco.
Liguei o forno no máximo.
E comecei a montar o pirex: no fundo, dispus o polvo, devidamente escorrido, cortado em pedaços grandes e as batatas em quartos. Aconcheguei tudo muito bem e, por cima, cobri com a cebolada. Levei ao forno até alourar um pouquinho e servi quente.
Comidinha de conforto!
Fiquem bem.
Maria