segunda-feira, 6 de Outubro de 2014

Empadão de alheira

À conversa em mais um jantar com amigos, falou-se inevitavelmente de comida. 
Mais do que pesquisar nos inúmeros sites e blogues disponíveis, gosto de conversar com as pessoas sobre aquele prato, aquele bolo ou aquela tarte que lhes saiu tão bem. Gosto de ouvir a descrição de todo o processo. Gosto de saber quais os ingredientes utilizados e os truques que, por vezes, fazem toda a diferença. 
Da conversa daquele jantar, trouxe este empadão guardado no pensamento.
Não demorei muito tempo a pôr a receita em prática. E o resultado foi aquilo que já esperava.


Ingredientes
1 kg de puré de batata
2 alheiras caseiras ou 3 das de compra
400 gr de grelos congelados (uso da marca Continente)
2 gemas de ovo

Preparação
Faz-se o puré conforme a receita do livro-base da Bimby. A única alteração que faço é utilizar apenas 350 gr de leite.
Cozem-se os grelos em água, sal e um fio de azeite, respeitando o tempo de cozedura referido na embalagem.
Rega-se o fundo de um tabuleiro de forno com um fio de azeite. Retira-se a pele às alheiras e esfarelam-se por cima. Forma-se uma camada com os grelos devidamente escorridos e cobre-se com o puré de batata. Pincela-se com as gemas de ovo e vai ao forno alourar.
Serve-se com uma salada de tomate.

Bom apetite.

Maria

quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

Pudim de Bacalhau com pozinhos de perlimpimpim


Alimento a teoria de que o pouco se pode transformar no muito, ao jeito da parábola de A Multiplicação dos Pães. Foi quase mesmo um milagre o que aqui aconteceu. Umas sobras de bacalhau cozido conjugadas com algum pão deram o mote e com mais uns pós de perlimpimpim tudo se transformou numa receita de substância que contou vinte jeitosas fatias.

A receita deste pudim encontra-se no Foodwithameaning, caso a queiram guardar para mais tarde experimentar.


Patrícia

domingo, 21 de Setembro de 2014

Bolo de banana

(Receita adaptada daqui)

Hoje trago-vos uma receita que considero, acima de tudo, útil. Quantas vezes não compramos bananas e acabamos por desperdiçar as últimas, que vão envelhecendo na fruteira, acastanhadas e feias? Este bolo é perfeito para evitar desperdícios. E é adequadíssimo a pequenos-almoços de fim de semana e lanches pós-escola. Espero que gostem. 


Ingredientes:
2 chávenas de farinha
1 1/2 colher (de chá) de fermento para bolos
1 colher (de chá) de bicarbonato
3/4 colher (de chá) de sal
3/4 chávena de açúcar
1/2 chávena de manteiga derretida
1/2 chávena de leite
2 ovos
1 colher (de chá) de extrato de baunilha
2 bananas bem maduras (as minhas já estavam castanhas)
Açúcar mascavado escuro para polvilhar o bolo


Preparação:
Aquecer o forno a 180 graus. 
Numa tigela grande, misturar a farinha, o fermento, o bicarbonato, o sal e o açúcar. Acrescentar a manteiga derretida e mexer, até esta estar bem incorporada. Juntar metade do leite e mexer.
Numa tigela à parte, misturar o restante leite com os ovos e juntar à mistura anterior, bem como a baunilha e as bananas esmagadas. 
Forrar uma forma de bolo inglês com papel vegetal (ou untá-la e enfarinhá-la), colocar a mistura, polvilhar com açúcar mascavado e levar ao forno, cerca de 35 a 40 minutos (fazer o teste do palito: espetar um palito no centro do bolo; quando este sair seco, o bolo está cozido). Deixar arrefecer e desenformar. 


Uma boa semana para todos.
Ilídia

domingo, 14 de Setembro de 2014

Salada de polvo e lapa miúda

Venho hoje deixar-vos uma receita que fiz em agosto passado, receita esta confecionada com frutos da pesca-submarina praticada pelo meu marido. O polvo ainda era jovem e de entre a lapa graúda foi selecionada a mais miúda para esta salada.  Acompanhei a salada com pão de milho e com vinho verde fresquinho. No meu entender, acabou por ser uma excelente despedida do verão.



Ingredientes 
250 g de lapa miúda
1 polvo com cerca de um quilo
azeite 3/4 medida
vinagre 1/4 medida
3 cebolas (1 para a cozedura do polvo)
6 dentes de alho (2 para a cozedura do polvo)
salsa
2 colheres de chá de massa de malagueta
1 colher de chá rasa de pimentão doce (colorau)
umas pedrinhas de sal
Preparação
1. Colocam-se as lapas  num tacho e cobrem-se com água.
2. Deixa-se cozer até a água ferver e estas se soltarem da concha.  Deixa-se arrefecer.
3. Escolhem-se as lapas e eliminam-se as conchas.
4. Retira-se o polvo do congelador. Deixa-se descongelar e coloca-se na panela de pressão limpo e inteiro, conjuntamente com dois alhos cortados em metade e uma cebola inteira. Fecha-se a panela, deixa-se levantar pressão e conta-se 20 a 30 minutos e o polvo deve estar cozido. O tempo de cozedura dependerá também do tamanho do polvo. Este, neste caso, pesava apenas um quilo.
5. Colocam-se  as lapas e o polvo cozido, cortado em pedaços pequenos, num recipiente e prepara-se o molho em cima destes com os restantes ingredientes acima descritos.


Uma boa semana para todos!

Patrícia

domingo, 7 de Setembro de 2014

Mousse de lima

A primeira vez que comi esta mousse foi em casa de amigos. A finalizar um churrasco, fiquei verdadeiramente deliciada. É uma sobremesa muito fresca, muito de verão. A receita veio comigo. E agora posso partilhá-la convosco. Mais uma super fácil e que vale a pena ;)


Ingredientes
500 ml de natas frescas (uso da marca Milhafre)
1 lata de leite condensado
sumo de 4 limas
raspa de 1 lima (para enfeitar)


Preparação
Colocam-se as natas numa taça e mexe-se um pouco com uma vara de arames. Adiciona-se o leite condensado e mistura-se bem. Espreme-se o sumo das limas para uma tacinha à parte e, depois, acrescenta-se em fio, à mistura inicial, mexendo sempre. Vão ver que começa logo a "fazer ponto".
Coloca-se numa taça grande ou em tacinhas individuais, enfeita-se com raspa de lima e vai ao frio.
Pode-se fazer de manhã para a hora do jantar.

Bom resto de verão.

Maria

terça-feira, 26 de Agosto de 2014

Polvo assado no forno

Esta receita de polvo surpreendeu-me pela positiva. Gostei do aspeto, quando a vi no volume 14 do livro Tele Culinária e Doçaria, mas confesso que a fiz um pouco de "pé atrás". Acho que o polvo no forno, exceto o que faço à lagareiro e que podem encontrar aqui, fica sempre com muito molho. Mas desta vez enganei-me! Este fica com um molhinho muito saboroso e na quantidade certa.
É um prato que implica algum tempo para ser feito. Mas vale bem a pena!
 
Ingredientes
1 polvo grande (+/- 2 Kg)
12 batatas
azeite q.b.
2 cebolas grandes
5 dentes de alho
1 folha de louro
2 tomates maduros (grandes)
1 malagueta
200 gr de bacon
1 pimento vermelho
2 c. chá de molho Q.B.
1 chávena de vinho branco
1/2 chávena de água
sal q.b.
 
Preparação
Comecei por lavar e arranjar o polvo. Coloquei-o numa panela, partido em quatro pedaços, adicionei meio copo de água, meia colher de chá de sal, um fio de azeite, uma cebola cortada em quartos e levei ao lume a cozer.
Lavei as batatas e cozi-as com a pele, em água temperada com sal. Depois de cozidas, escorri-as e retirei-lhes a pele.
Numa panela, fiz um refogado com o azeite, o alho picadinho, as cebolas cortadas em meias luas, o louro, o pimento e o bacon cortados às tiras. Deixei cozinhar até a cebola querer alourar, juntei os tomates cortados em meias luas, a malagueta partida em dois e o molho Q.B. e deixei refogar mais um pouco, para tomar gosto. Mais tarde, juntei o vinho e a água e temperei com sal. Deixei apurar um pouco.
Liguei o forno no máximo.
E comecei a montar o pirex: no fundo, dispus o polvo, devidamente escorrido, cortado em pedaços grandes e as batatas em quartos. Aconcheguei tudo muito bem e, por cima, cobri com a cebolada. Levei ao forno até alourar um pouquinho e servi quente.
Comidinha de conforto!
Fiquem bem.
Maria

quarta-feira, 13 de Agosto de 2014

Mousse suíça

Esta mousse foi feita de manhã para o jantar. É de confeção extremamente rápida e dá, aproximadamente, para seis tacinhas. Uma ótima opção para quem está de férias e gosta de um docinho caseiro.
Os próximos dias vão ser de pausa para mim, para descansar com a família. Até breve!

 
Ingredientes
1 lata de leite condensado cozido
100 gr de margarina derretida
5 ovos (separados)
 
Preparação
Coloca-se o leite condensado numa taça, adiciona-se a margarina e mistura-se muito bem. Separam-se as gemas das claras, acrescentando as primeiras ao preparado inicial. Mistura-se novamente até obter um creme homogéneo. Batem-se as claras em castelo e, no final, juntam-se aos poucos ao creme, mexendo bem, sem bater (usei a vara de arames).
Coloca-se em tacinhas e leva-se ao frigorífico.
 


Fonte: Teleculinária e Doçaria - Edição Especial, 23º volume.

Maria

quinta-feira, 7 de Agosto de 2014

Ervilhas no tacho com galinha e ovos escalfados

Há dias fui a casa da minha cunhada e comecei a folhear alguns livros de culinária da coleção "Tele Culinária e Doçaria", do Chefe António Silva. Esta coleção baseia-se numa compilação de revistas ao longo dos anos. E tem receitas maravilhosas! Por isso, é natural que daqui para a frente partilhe convosco algumas das coisas que vá fazendo a partir daí.
E porque os meus sogros me deram cinco sacos de ervilhas na semana passada, hoje trago uma receita de ervilhas estufadas. A inspiração veio de uma receita de favas do volume 23 da referida coleção. Ficaram muito saborosas!
 

Ingredientes
1 fio de azeite
1 cebola
2 dentes de alho
160 gr de bacon fumado
12 pernas de frango
1 kg de ervilhas
meio cubo de caldo de galinha
2 c. chá de molho Q.B.
sal q.b.
ovos (varia consoante o número de pessoas)


Preparação
Faz-se um refogado com o azeite, o alho e a cebola, mas só até esta ficar translúcida. Acrescenta-se o bacon e deixa-se fritar um pouco. Adiciona-se o frango, mexe-se e deixa-se cozinhar, só até perder o aspeto de cru. Juntam-se as ervilhas, tapa-se e deixa-se "suar" um pouco. Adiciona-se então o caldo de galinha, dissolvido em 300 ml de água a ferver, e tempera-se com sal e o molho Q.B. Tapa-se novamente e deixa-se cozinhar, sacudindo o tacho, uma vez por outra. 
Quando estiver tudo praticamente cozido juntam-se os ovos, com o cuidado de não se tocarem entre si, e espera-se que cozinhem um pouco, com o tacho tapado, tendo o cuidado de não deixar secar a gema.
Serve-se de imediato.

O conforto também pode ser servido num prato!

Maria

quarta-feira, 30 de Julho de 2014

Tarte Bracarense

Esta tarte é daqueles doces tipo conventuais, que nos deixam felizes, mas sempre a desejar uma segunda fatia.
A receita foi-me dada pela minha colega Paula. Obrigada, querida! Adoramos cá em casa ;)



Ingredientes
1 base de massa folhada (usei de compra)
300 gr de açúcar
2 ovos + 6 gemas
nozes e amêndoas laminadas, a gosto
açúcar em pó (opcional)

Preparação
Forra-se uma tarteira de fundo amovível com a massa folhada.
Bate-se, com a colher de pau ou vara de arames, o açúcar com os ovos e as gemas. Adicionam-se as nozes e as amêndoas, envolve-se bem e coloca-se na tarteira.
Vai ao forno a alourar.
Polvilha-se com açúcar em pó, depois de fria. (opcional)

Espero que gostem.

Maria

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Tarte de Delícias do mar

Esta é uma excelente opção para um piquenique ou para uma refeição mais rápida. Estando no verão, muitas vezes a praia exige refeições mais leves, para irmos a banhos ;)


Ingredientes para a base
300 gr de farinha de trigo
150 gr de açúcar
sal q.b.
2 c. sopa de banha de porco
1 c. sopa bem cheia de manteiga
3 ovos
manteiga para untar a forma
Ingredientes para o recheio
500 ml de natas
3 c. sopa de farinha de trigo
1 pimento pequeno
3 ovos
1 pacote e meio de delícias do mar (aproximadamente 24 delícias)
pimenta branca q.b.

Preparação
Começa-se por preparar a massa para a base. Colocam-se todos os ingredientes numa taça e amassa-se com a mão. Depois de tudo devidamente ligado e homogéneo, forra-se o interior de uma tarteira de fundo amovível, devidamente untada com manteiga, e reserva-se.
Entretanto, noutra taça, colocam-se as natas, a farinha, o pimento cortado em fatias finas, os ovos e as delícias do mar desfiadas. Mexe-se tudo muito bem. Tempera-se com pimenta branca a gosto e verte-se sobre a tarteira.
Vai ao forno até ficar lourinha.
Bom apetite!
Maria

domingo, 20 de Julho de 2014

Tarte de limão merengada

As sobremesas com sabores cítricos são das minhas preferidas. E as tartes merengadas têm sempre aquela aparência festiva que impressiona e embeleza qualquer mesa. Esta foi feita num dia em que a fruteira abarrotava de limões, colhidos por mim e pelo meu pai, numa tarde de domingo.



Tarte de limão merengada



Ingredientes:
1 base de massa quebrada

Para o creme:
4 gemas
200 g de água
50 g de maizena
130 g de açúcar
40 g de sumo de limão
40 g de manteiga

Para o merengue:
50 g de açúcar confeiteiro (se fizer a tarte na bimby, use açúcar granulado)
4 claras
umas gotas de sumo de limão
1 pitada de sal

Preparação na Bimby:
Pré-aqueça o forno a 180 graus.
Forre uma tarteira de fundo removível de 26 cm com a massa quebrada, pique com um garfo a base da tarte, para que não inche, e coloque-a no forno cerca de 15 minutos. Retire do forno e reserve.
A seguir, deite no copo todos os ingredientes do creme e programe 5 minutos, 90 graus, velocidade 4. Deixe imediatamente o creme sobre a base reservada.
Pese o açúcar para o merengue e reserve. 
Com o copo limpo, coloque a "borboleta", as claras, o sumo de limão e o sal e bata 6 minutos, velocidade 3. Nos 30 segundos finais, adicione o açúcar através do bocal da tampa. Cubra o creme com este merengue. Polvilhe com açúcar e leve ao forno a gratinar.

Preparação tradicional: 
Pré-aqueça o forno a 180 graus.
Forre uma tarteira de fundo removível de 26 cm com a massa quebrada, pique com um garfo a base da tarte, para que não inche, e coloque-a no forno cerca de 15 minutos. Retire do forno e reserve.
Leve ao lume brando todos os ingredientes do creme e vá mexendo sempre, até engrossar. Deite imediatamente o creme sobre a base reservada.
Bata as claras, o sumo de limão e o sal. Quando estiverem quase no ponto, junte-lhes o açúcar e continue a bater, até estas estarem bem firmes. Cubra o creme com este merengue. Polvilhe com açúcar e leve ao forno a gratinar.

Fonte: Bimby - As receitas essenciais, Vorwerk

Ilídia

terça-feira, 8 de Julho de 2014

Guardanapos

Quando vim morar para a Terceira, uma das coisas de que senti falta, no início, foi de uma pastelaria com uma montra de bolos apelativa ;) Assim... tipo a da Pastelaria Vénus de Coimbra, com doces, salgados e pão maravilhosos! Agora, já me habituei e, devagarinho, já descobri onde comer um bom doce.
Aqui, aprendi a gostar do guardanapo. Não, não é aquele a que estava habituada a comer no continente. Aqui, isso é um lenço. O guardanapo é de massa folhada, recheada com marmelada. Muito bom!
A minha amiga Carla fá-los em casa, em miniaturas. Há dias repliquei a receita dela.
 
 
 
Ingredientes
(não coloco quantidades porque depende da quantidade de massa folhada que quisermos utilizar)
 
massa folhada retangular (de compra)
marmelada
gema de ovo (para pincelar)
 
 
 
Preparação
Não há nada mais simples do que preparar estes guardanapos.
Corta-se a massa folhada em quadrados. No interior de cada um, coloca-se uma porção de marmelada a gosto. Fecha-se a massa, em formato triangular, tendo o cuidado de cerrar bem. Pincela-se com gema de ovo e leva-se ao forno, num tabuleiro forrado com papel vegetal e ligeiramente untado com manteiga, até ficarem lourinhos.
 
Boas férias!
 
Maria

sexta-feira, 13 de Junho de 2014

Paté de atum e delícias do mar

Já lá vai algum tempo desde a última vez que por aqui passei.
O dia de hoje marcou o final de mais um ano letivo. A partir da próxima semana será tempo de reuniões, vigilâncias, correção de exames e outras tarefas inerentes ao encerramento de um ano com os alunos. Foi um ano muito intenso, o primeiro do meu Afonso na escola. Já o vejo e sinto muito mais relaxado e feliz. O "fantasma" chamado tpc, já não vem cá a casa desde a semana passada. A descontração está no ar. Se não jantarmos mais cedo, jantamos mais tarde... Tão bom!
Por isso, e uma vez que já "inaugurei" o verão com um churrasco aqui em casa há duas semanas, deixo-vos uma das entradas que fiz. Para comer devagar entre conversas, risos e, já agora, caipirinhas :)


Ingredientes
1 lata de atum
6 delícias do mar
1 ovo cozido
metade de uma cebola pequena
1 c. sopa de pickles
salsa picada q.b.
maionese q.b.
ketchup q.b.


Preparação
Pica-se tudo na picadora. Coloca-se numa taça e envolve-se com maionese e ketchup a gosto.
Serve-se fresquinho com tostas ou gressinos.
 
Bom fim de semana.
 
Maria

sexta-feira, 30 de Maio de 2014

Tarte de cogumelos

Há anos que faço esta tarte. Ao contrário da receita original, com cogumelos de lata, uso cogumelos frescos. Nesta versão, uma mistura de cogumelos brancos, castanhos, pleurothus e shiitake (frescos e secos). As flores do cebolinho deram-lhe um toque primaveril. Para acompanhar, pak choi no forno. 
 
Ingredientes:
300 g de mistura de cogumelos frescos
20 g de cogumelos shiitake secos
150 g de bacon, cortado em tirinhas
3 colheres (de sopa) de azeite
1 base de massa folhada
3 ovos
2 dl de leite 
sal e pimenta q.b.
cebolinho q.b.

Hidrate os cogumelos secos  (demolhe-os em água quente durante 30 minutos). Escorra-os bem e corte-os em pedaços.
Corte os cogumelos frescos em rodelas. 
Leve ao lume uma frigideira com o azeite, junte-lhe os cogumelos e deixe cozinhar durante 5 minutos. Escorra-os e reserve-os.
Deite na frigideira o bacon cortado, deixe-o dourar durante 3 minutos, escorra-o e reserve-o também.
Estenda a massa folhada e com ela forre uma forma de tarte; pique-lhe o fundo com um garfo.
Numa tigela, bata os ovos com o leite e junte-lhe o cebolinho, picado. Tempere com sal e pimenta.
Dentro da forma forrada de massa folhada, disponha os cogumelos e o bacon e deite sobre estes a mistura de ovos e leite. Leve ao forno a 200 graus, durante 30 minutos. Retire e sirva quente.
 
 
Pak choi assada 
1 couve pak choi grande
3 colheres de azeite
1 colher de xarope de ácer
sal e pimenta 

Lave a couve e reserve.
Misture o azeite com o xarope de ácer e tempere com sal e pimenta.
Forre um tabuleiro com papel vegetal. Sobre este, coloque a couve e regue-a com a mistura de azeite e xarope de ácer. Envolva bem, com as mãos, e leve ao forno a 180 graus, cerca de 15 minutos (o tempo dependerá do tamanho da couve).
 
Um bom fim de semana para todos.

Ilídia





sexta-feira, 16 de Maio de 2014

Salame de Amêndoa

Gosto imenso de salame e esta receita é a que desde sempre se faz na nossa família. Desta vez, substituí as nozes e os amendoins pela amêndoa. Ficou igualmente bom. Aliás, muito bom.
E vocês, também fazem o salame assim?

Ingredientes
4 pacotes de bolacha maria (200 g cada)
500 g de açúcar em pó
200 g de leite em pó
125 g de manteiga
100 g de cacau
4 a 5 ovos
2 cálices de vinho do porto
1 pacote (200 g de amêndoa palitada ou picada)
Preparação
1. Tritura-se 400 g de bolacha até ficarem reduzidas a pó.
2. Trituram-se as restantes 400 g de modo a exibirem pedaços.
3. Tritura-se ligeiramente a amêndoa ou opta-se por comprá-la já laminada ou em pedacinhos. Leva-se a torrar ligeiramente no forno ou numa frigideira.
4. Num alguidar, ou marmita grande, misturam-se todos os ingredientes. A manteiga deve ser amolecida previamente para facilitar a agregação do preparado. Para este facto também contribuem os ovos e o vinho do porto.
5. O salame é disposto em cima de película aderente, ou de papel de alúminio, previamente untada com vinho do porto e com o comprimento desejado.
NOTAS.
Esta sobremesa exige bastante de quem a confeciona especialmente pelo esforço implicado na mistura manual de todos os ingredientes até estes ficarem bem aglomerados. O salame está pronto a ser moldado como se entender quando se mostrar como uma unidade.
Tradicionalmente, o salame é moldado com o aspeto de pão de forma, mas podem dar-lhe a forma que pretenderem.
O salame pode ser congelado após a confeção e retirado umas horas antes de ser consumido. É, por isso, um doce que pode ser confecionado a qualquer altura e guardado até vir a ser necessário.
Esta é uma sobremesa que deve ser feita de véspera e guardada no frigorífico.
Se é fã de chocolate e frutos secos, aventure-se e faça este salame delicioso.
Se preferir umas bolachinhas, deixo aqui esta sugestão.

Um excelente fim de semana!
Patrícia

segunda-feira, 5 de Maio de 2014

Quadrados Brasileiros

Há dias fui a casa da tia Dora Alice e, enquanto falávamos, fomos comendo uns quadradinhos destes. Tal como ela, não sei bem o nome deste doce. Batizei-o de doce aos quadrados mas, de cada vez que falava nele a outras pessoas, diziam-me que eram brasileiros. Então, um dois em um: quadrados brasileiros! 
Claro que não consegui esperar muito tempo para os reproduzir cá em casa... E assim foi no sábado.
 
 
Ingredientes
200 gr de bolacha Maria (1 pacote)
125 gr de manteiga
1 lata de leite condensado
100 gr de coco ralado
100 gr de chocolate negro
3 c. sopa de manteiga de amendoim
 
 
Preparação
Pica-se a bolacha num robô de cozinha e coloca-se numa taça. Adiciona-se a manteiga derretida e mistura-se tudo com a mão, até conseguirmos uma massa húmida. Unta-se o fundo de um tabuleiro com manteiga e forra-se com o preparado da bolacha, formando uma base. Vai ao forno 15 minutos.
Entretanto, mistura-se o leite condensado com o coco e, findos os 15 minutos iniciais, retira-se o tabuleiro do forno e verte-se, por cima, esta mistura. Vai novamente ao forno 15 minutos.
Depois do tempo indicado, reserva-se e deixa-se arrefecer.
Depois de frio, é tempo de preparar a última camada: derrete-se o chocolate no micro-ondas, se preciso com a ajuda da manteiga de amendoim ou de um pouco de leite. Misturam-se os dois últimos ingredientes muito bem e dispõem-se em camada no tabuleiro. Vai ao frigorífico.
Depois de frio, corta-se aos quadradinhos.
Hummm... pecaminoso!
 
Boa semana para todos.
 
Maria

quarta-feira, 23 de Abril de 2014

Cataplana de lulas e marisco

Depois dos excessos da Páscoa, altura em que se elege mais a carne e os doces,  com exceção da sexta-feira santa, tradição que fazemos questão de manter cá em casa, a presença de peixe à nossa mesa é sempre um imperativo.
Quem me conhece sabe que prefiro o peixe à carne  e viver perto do mar tem sido, sem dúvida, uma mais-valia. Nesta cataplana contemplei lulas e mariscos vários. Ficou uma delícia.



A receita encontra-se no Foodwithameaning, já aqui ao lado.

Bom apetite!

Patrícia

sábado, 19 de Abril de 2014

Cupcakes de Páscoa

Com estes cupcakes, venho desejar a todos quantos por aqui passam uma Páscoa feliz.



Ingredientes para as orelhas: 
50 g de manteiga
70 g de açúcar 
150 g de farinha (+ q.b. para polvilhar)
1 laranja (sumo e raspa) 

Glacé para as orelhas:
220 g de açúcar confeiteiro
1 clara de ovo
3-5 gotas de sumo de limão
corante q.b. para colorir

Cupcakes
(esta receita)

Cobertura:
180 g de açúcar
65 g de manteiga sem sal à temperatura ambiente
250 g de queijo mascarpone
24 pérolas para os olhos (usei vermelhas, mas pode usar de chocolate)
12 minicorações de açúcar para o nariz (não tinha, por isso, improvisei com confetis)

Preparação

Massa para as orelhas:
Pré-aqueça o forno a 180 graus. Forre um tabuleiro com papel vegetal. Reserve.
Bata todos os ingredientes (na Bimby, 15 segundos/ velocidade 6). Numa superfície polvilhada com farinha e com a ajuda de um rolo, estenda a massa e, com a ajuda de um molde (o meu foi decalcado da revista; caso não tenham jeito para desenhar, poderão imprimir uma destas fotos ou procurar moldes na Internet) e de uma faca, corte as orelhas. Coloque num tabuleiro e leve ao forno cerca de 15 minutos. Retire e deixe arrefecer sobre uma rede.



Glacé para as orelhas:
Bata o açúcar confeiteiro, a clara e o sumo de limão (na Bimby, 10 segundos/ velocidade 6). Coloque 1/3 do glacé numa taça e, com a ajuda de um palito, adicione uma gota de corante vermelho, para obter um tom rosa-claro. De seguida, coloque num saco de pasteleiro. Reserve. 
Com a ajuda de uma espátula, cubras as bolachas com o glacé branco, deixe secar e finalize com o glacé cor-de-rosa.

Fiz os cupcakes segundo a receita do bolo de chocolate vegan, dividi pelas forminhas de papel e levei ao forno a 160 graus, cerca de 20 minutos (fiz o teste do palito para verificar a cozedura).

Cobertura:
Bata a manteiga com o açúcar confeiteiro, até obter um creme fofo (na Bimby, 3 minutos/ velocidade 3).  Misture o mascarpone (na Bimby, 3 segundos/ velocidade 3). Coloque num saco de pasteleiro, cubra os cupcakes com o creme de mascarpone e coloque as orelhas (fixe-as com a ajuda de um palito na parte de trás ou pressione-as, enterrando-as no creme, de modo a que este sirva de "cola"). Coloque duas pérolas no lugar dos olhos e um coração ou confetis no lugar do nariz. 


Fonte: Revista Bimby - Momentos de Partilha, abril de 2014

Ilídia



segunda-feira, 14 de Abril de 2014

Batatas tostadas da minha mãe

As batatinhas no forno da minha mãe são especiais. Nunca comi iguais. E até agora, nunca tinha conseguido fazer iguais às dela.
Num destes dias, enquanto andava às compras, decidi que o jantar seria frango no forno. Quando cheguei a casa, liguei à mamã... e não sei se foi do tipo de batata, se do tempo que estiveram no forno ou da maneira como preparei o molho... o que sei é que ficaram deliciosas e muito parecidas com as dela.
A receita é muito simples.
 
 
 
Ingredientes
batatinhas novas (usei aproximadamente 25)
3 dentes de alho (grandes)
sal, a gosto
100 ml de azeite
150 ml de água
75 ml de vinho branco
1 c. chá de pimentão doce
 
 
 
Preparação
Descasquei as batatas, lavei-as e coloquei-as num recipiente refratário. Salpiquei-as com um pouco de sal.
Como sou uma pessoa super prática, coloquei todos os outros ingredientes dentro do copo da varinha e liguei-a durante uns segundos, até o alho ficar triturado. Despejei 3/4 desta mistura sobre as batatas e levei ao forno. Adicionei um pouco de molho a meio da cozedura.
Servi como acompanhamento de frango assado ao sal.
Uma maravilha de jantar ;)
 
Beijinhos.
 
Maria

terça-feira, 8 de Abril de 2014

Arroz de polvo

Adoro polvo. Desde pequena. E tive a sorte de vir morar para uma terra onde é fácil arranjar polvo de qualidade - os Açores. Cá em casa, não se come outro polvo senão o do nosso mar.
E um arrozinho sabe sempre bem.


Ingredientes
2 polvos (médios/grandes)
1 cebola
3 dentes de alho
azeite q.b.
1 copo de vinho tinto
1,5 canecas de arroz agulha
3,5 canecas de água quente (da que cozeu o polvo)
sal q.b.



Preparação
Depois de lavar e arranjar o polvo, coloca-se numa panela, cortado em pedaços pequenos, com um pouco de água (mais ou menos meia caneca), uma pitada de sal e um fio de azeite.
Depois de cozido, faz-se um refogado com azeite, o alho e a cebola picados. Acrescenta-se o polvo (sem a água da cozedura) e deixa-se refogar também um pouco. Adiciona-se o vinho, envolve-se bem e deixa-se cozinhar (inicialmente em lume alto e o tacho destapado, para libertar o álcool, e depois em lume brando, com o tacho tapado).
Quando o molho tiver desaparecido quase por completo, junta-se o arroz e mexe-se tudo muito bem. Quando começar a querer ficar seco, junta-se a quantidade de água quente indicada (que será a da cozedura do polvo e o resto água fervida). Deixa-se cozinhar até o arroz ficar cozido, mas soltinho.
Serve-se de imediato.
 
Boa semana!
 
Maria

segunda-feira, 31 de Março de 2014

Pãezinhos com salsicha e queijo... o antes

Aconteceu-me nesta receita algo que muito raramente me sucede: fotografar o antes e esquecer-me de fotografar o depois. Fiz estes pãezinhos para levar para casa de um casal amigo e com a pressa, de os retirar do forno e de os acondicionar num tabuleiro para os transportar, nunca mais pensei que faltava a foto do produto final. Por isso, só vos resta acreditar na minha palavra quando digo que ficaram muito saborosos. A massa ficou crocante e os pãezinhos saíram do forno com um tom dourado muito bonito.


Ingredientes para 25 pãezinhos

400 g de farinha T55
200 ml de água morna
1 colher de chá rasa de sal
5 g de fermento de granulado
50 ml de óleo vegetal
salsichas
mistura de três queijos (flamengo; cheddar e emental)
farinha para polvilhar a bancada e os pãezinhos

Preparação

1. Dissolver a farinha e o sal em água morna.
2. Num alguidar, colocar a farinha e ir adicionando os restantes líquidos, misturando com as mãos até se formar uma bola que desprenda do alguidar. 
3. Tapar o alguidar com película aderente,envolvê-lo numa manta e deixar que dobre de tamanho (cerca de uma a duas horas)
4. Polvilhar a bancada com farinha, retirar pedacinhos de massa e fazer bolinhas que se espalmarão com as mãos e se rechearão com queijo ralado e pedaços de salsicha e se fecharão em forma de rolinho.
5. Colocar os pãezinhos em cima de uma toalha, tapados na totalidade com a restante toalha. Deixar que repousem mais 30 minutos.


6. Forrar o tabuleiro do forno com papel vegetal e dispor os pãezinhos, já polvilhados com farinha, com a distância mínima de 5 cm uns dos outros. Levar ao forno pré-aquecido durante 30 minutos a 180 ºC ou até estarem cozidos e dourados.

Nota: Ao enrolar os pãezinhos, depois de recheados, certifique-se que a dobra do fecho da massa fica bem fechada para evitar que se abram durante a cozedura.


Estes pãezinhos são um excelente snack para as lancheiras dos vossos filhos, não acham?

Uma boa semana!

Patrícia

segunda-feira, 17 de Março de 2014

Bolos de arroz


Não há como negar pedidos destes. Quando me ele me pede que faça um bolinho igual ao que comemos na pastelaria, a resposta só pode ser afirmativa. E nada como ver aquelas mãos ainda pequenas e gorduchas cheias de migalhas, deliciadas com os bolinhos ainda quentes. E então quando me diz que os meus são os melhores que já provou, derreto-me :)
Ingredientes para 12 bolinhos:
6 ovos + leite, até perfazer 500 ml
300 g de açúcar (usei apenas 250 g)
300 g de farinha de trigo
150 g de farinha de arroz (pulverizei arroz na Bimby, na velocidade 9, até este ficar em pó)
150 g de manteiga, à temperatura ambiente
25 g de fermento em pó
extrato de baunilha
raspa de 1/2 limão
Preparação na Bimby:
Pré-aquecer o forno a 200 graus. Colocar as forminhas num tabuleiro.
Colocar a borboleta. Bater a manteiga com o açúcar 3 minutos, velocidade 3,5. Juntar os ovos, o leite, a raspa de limão e o extrato de baunilha e bater 3 minutos, na velocidade 3,5. Juntar as farinhas e o  fermento, peneirados, e envolver 20 segundos, velocidade 3.
Encher as formas até 2/3, polvilhar com açúcar (não o fiz) e levar ao forno a 200 graus, cerca de 5 minutos, e passar para 180 graus, até estarem cozidos.

Preparação tradicional:
Bater a manteiga com o açúcar, até obter um creme fofo. Juntar os ovos, o leite, a raspa de limão e o extrato de baunilha e bater, até estar tudo bem incorporado. Juntar as farinhas e o  fermento, peneirados, e envolver bem.
Encher as formas até 2/3, polvilhar com açúcar (não o fiz) e levar ao forno a 200 graus, cerca de 5 minutos, e passar para 180 graus, até estarem cozidos.


Fonte: http://www.cocoebaunilha.com/2012/10/bolo-de-arroz.html

Ilídia