segunda-feira, 1 de julho de 2013

Caracóis aromáticos

Esta é uma receita dedicada apenas aos apreciadores de caracóis. Curiosamente, nunca fui habituada a comê-los, mas ouvia a minha bisavó falar dos xaropes de baba de caracol que fazia artesanalmente para combater a tosse. Lembro-me de contar que depois dos caracóis serem apanhados teriam de ficar numa folha de couve durante 1 ou dois dias para limparem o organismo. Depois, eram colocados em cima de uma rede para que se babassem. Dos restantes procedimentos não me recordo, com muita pena minha.

Ao contrário dos caracóis de outros tempos, estes foram apanhados na peixaria do hipermercado. Uma apanha fácil, esta. Como foi a primeira vez que os fizemos cá em casa, resolvemos fazer alguma pesquisa prévia na net.

Esta versão ficou uma delícia porque muito aproximada da receita do Rei dos Caracóis que durante as festas Sanjoaninas satisfez o paladar dos apreciadores deste molusco.



1. Comprei um saco de caracóis. Lavei-os muito bem em água corrente até ver que a água estava a sair limpa. 

2. Verti um pouco de vinagre para os caracóis e voltei a passar por várias águas.

3. Deitei os caracóis dentro de um tacho e cobri-os com água. Tapei-os e deixei repousar durante 15 minutos.

4. Liguei o fogão no mínimo e esperei que fossem espreitando para fora da carcaça.

5. Coloquei uma cebola partida a meio, 4 dentes de alho, um caldo de carne, orégãos secos, 1 folha de louro, uma colher de café de cominhos, um ramo grande de coentros, azeite e  sal.

6. Aumentei o "lume" e deixei cozinhar meia hora


Receita adaptada daqui.


Bom apetite!

Patrícia


*Se preferirem um gelado, poderão espreitá-lo aqui.

6 comentários:

Susana Machado disse...

A minha mãe ia adorar este petisco!
Beijinhos
http://sudelicia.blogspot.pt/

São Ribeiro disse...

Por acaso nunca comi mas a minha mãe adora.
O aspecto esta bem tentador.
Bjs

Mª João - Ponto de Rebuçado Receitas disse...

Tenho em casa um devorador de caracóis, o meu filho... mas eu não gosto e nunca fiz (faz-me confusão o bicho, pronto!)
Beijinhos

Ana - Lady ao fogão disse...

Deve ser uma delicia mas nuna tive coragem de exprimentar... :) talvez este ano..

beijinhos

Teresinha disse...

O meu marido gosta muito e, por acaso, eu também os preparo mais ou menos assim.
Quando vamos aos Açores, ele apanha-os lá no quintal, vão sendo acomodados e alimentados ao longo da semana e faço como a tua bisavó ensinou, mas coloco-os, no último dia, num pouco de farinha, para saírem os cocós brancos! Aí estão prontos para mergulhar na água fria, que depois vai ao lume... e os bichinhos, na tentativa de se salvarem... pondo a cabeça fora da concha, sofrem morte lenta.
É um ritual tirano... só faço isso para agradar ao marido! Os de pacote do supermercado também sofrem essa violenta morte... junto-me aos demais pecadores!!!
Não é coisa que aprecie e me lembre de cozinhar! Prefiro lapas, que morrem também...(!!!) e na próxima semana já as irei comer em S. Miguel!!!
Beijos
Teresinha

Receitas ao Desafio disse...

Obrigada Susana, São, Maria João, Ana e Teresinha pelos vossos comentários.
Antes de os provar também me fazia confusão comê-los, mas já comia búzios e lapas, por isso agora delicio-me com eles.
Um obrigado especial à Teresinha. Adorei a dica da farinha e o complemento que me faltava à tradição da preparação dos caracóis. Os blogues têm destas coisas boas.Obrigada mesmo pela partilha.Infelizmente os caracóis acabam por ter uma morte lenta mas o mesmo acontece com as lagostas, os cavacos, as lapas e os lagostins. Vão para a panela vivos e depois de cozinhados são uma perdição.
Que mate saudades das nossas lapinhas açorianas e que aproveite o tempo nas nossas ilhas e mares tão bonitos.

Um abraço.
Patrícia